20121015

"não me canso de querer ser da vida vivedor"

A vida é o fenômeno mais valioso da existência; é a divina manifestação da mutabilidade do concreto. Nasço, cresço, morro. Por que o homem, tão mesquinho, tão pequeno, não sabe aproveitá-la? O homem-prepotente diminui, subjuga, coisifica tudo o que vê pela frente, é tudo matéria, pois que tudo se destrua, que tudo eu engula, que tudo se evapore. Não a esta força dominadora, desprezível. Creio na Natureza-Mãe toda poderosa, criadora do céu e do inferno. No Espírito Humano, nosso redentor, que foi concebido na mais doce harmonia com o Universo. Creiamos infinitamente na força do Espírito Humano, e não na força das máquinas, das bolsas de valores, nas engrenagens e na luxúria. Não a este inferno carnal, que deteriora, decresce e discrimina.  Respiro, ouço e cresço. Sem maus agregados no meu corpo e alma. Todos em um, um em todos. A alma transcende e vence barreiras mesquinhas. Os verdes cifrões nada valem. A propriedade é um roubo e a vida é o mais valioso fenômeno que rege o Espírito. Não aos calendários, quotidianos e falsas leis. Quero o divino prazer da vida, da verdadeira vida. Partes do universo somos, Espíritos Humanos, que encontremos nossa Mãe redentora. Pensemos menos, vivamos mais. Vida. Vida. Vida. Todos em um, um em todos.