20121108

Nunca escureça



saudade que dói no peito e sangra
sangue, parece que nunca estanca!
lembrança de cheiros que espanca
dor à flor da pele que até espanta.

quem sabe um dia não tenha um luar
ideal p'ra gente poder desenhar?
uma nova história do amar
sem que nunca nada possa apagar.

mas, sei que ainda que aí eu esteja
que esta ausência entristeça,
sonhar é bom, não te esqueça...
então, por mim, nunca escureça.

20121106

Avassaladora

A minha dor


A minha Dor é um convento ideal
Cheio de claustros, sombras, arcarias,
Aonde a pedra em convulsões sombrias
Tem linhas dum requinte escultural.


Os sinos têm dobres de agonias

Ao gemer, comovidos, o seu mal…
E todos têm sons de funeral
Ao bater horas, no correr dos dias…


A minha Dor é um convento. Há lírios

Dum roxo macerado de martírios,
Tão belos como nunca os viu alguém!


Nesse triste convento aonde eu moro,

Noites e dias rezo e grito e choro,
E ninguém ouve… ninguém vê… ninguém…

(Florbela Espanca)

20121015

"não me canso de querer ser da vida vivedor"

A vida é o fenômeno mais valioso da existência; é a divina manifestação da mutabilidade do concreto. Nasço, cresço, morro. Por que o homem, tão mesquinho, tão pequeno, não sabe aproveitá-la? O homem-prepotente diminui, subjuga, coisifica tudo o que vê pela frente, é tudo matéria, pois que tudo se destrua, que tudo eu engula, que tudo se evapore. Não a esta força dominadora, desprezível. Creio na Natureza-Mãe toda poderosa, criadora do céu e do inferno. No Espírito Humano, nosso redentor, que foi concebido na mais doce harmonia com o Universo. Creiamos infinitamente na força do Espírito Humano, e não na força das máquinas, das bolsas de valores, nas engrenagens e na luxúria. Não a este inferno carnal, que deteriora, decresce e discrimina.  Respiro, ouço e cresço. Sem maus agregados no meu corpo e alma. Todos em um, um em todos. A alma transcende e vence barreiras mesquinhas. Os verdes cifrões nada valem. A propriedade é um roubo e a vida é o mais valioso fenômeno que rege o Espírito. Não aos calendários, quotidianos e falsas leis. Quero o divino prazer da vida, da verdadeira vida. Partes do universo somos, Espíritos Humanos, que encontremos nossa Mãe redentora. Pensemos menos, vivamos mais. Vida. Vida. Vida. Todos em um, um em todos.

20120815

quereres


quero amar a beleza das palavras não ditas
a intensidade da intenção dos olhares.
quero tecer a ebriedade que pulsa nas veias
com o engenho e força dos meus teares.
quero viver os descompassos das paixões
as redenções às ressacas dos mares.
quero querer a inteireza das coisas do mundo
a quebra de todas as normalidades vulgares.
quero comer as amargas pedras dos meus dias
e expeli-las em deuses para os manjares.
quero amar a beleza das palavras não ditas
e quero gritá-las em todos os altares.

20120627

FATAL

Quando teus olhos pousam nos meus
Dissipa-se no ar fulgor ideal
Para que nunca se queira dar adeus!
Não foges tu de mim, meu bem!
Pois a teu hálito que enjaula sou leal
Há de um dia explicar-se teu desdém?
Tua pele tão envolta de malícias
Magnetiza minhas unhas em atração fatal...
Vem, não te isentas de meus olhos e carícias!
Que meu amor por ti, meu mal, é irreal!...

20120505

Amana


amana, menina-mulher,
moreninha dos olhos d'água
alma pluma e sorriso de cigana
não deixes nada que não o bem
abrase teu lindo amor que de ti emana

FALL TO PISCES

viajando no cosmos de nossas
órbitas, cometas circundam e iluminam
Netuno; as luas em leão e touro
observam-se, atraem-se, entrelaçam-se
e unidas são iluminadas por todos
os sóis das galáxias do infinito;
são viagens infindas que estes corpos
celestes fazem, tão cheios de compreensão
da mútua energia
que sempre se expande.