20081230

entre lençóis


entre lençóis é um filme que tinha de tudo pra ser bom: a beleza dos dois únicos personagens (paola oliveira e reynaldo gianecchini), a boa idéia de um único cenário (um quarto de motel) e um ótimo roteiro com um único objetivo: mostrar a fragilidade dos relacionamentos, que podem ser quebrados apenas com uma intensa noite entre dois desconhecidos.
no começo eu achei todos os closes nos atores muito exagerados, que estavam usando e abusando da beleza deles. mas ao decorrer do filme , entendi que era tudo uma visão dos personagens.
mas todos esses motivos aparentemente bons para se gostar de um filme me fizeram sair do cinema dizendo: "o que diabos foi esse filme?!" todo o meu feitiço por esses detalhes que eu consegui perceber foi quebrado por um simples motivo: a trilha sonora. não sei se teve alguma influência da nacionalidade do diretor (colombiana), mas em alguns momentos parecia que eu estava assistindo "a usurpadora". uns suspenses musicais ultra-desnecessários, fundo de final feliz de filmes da disney e música de motel (tudo bem que o cenário é um motel, mas não poderiam ter escolhido algo menos característico?) me fizeram dar várias gargalhadas durante todo o filme.
os três reais que paguei valeram pela beleza dos atores, ignorando algumas frases manjadas e algumas conversas bem previsíveis. o conjunto do filme definitivamente não deu certo.
o que diabos foi esse filme?!

20081222

praia

hoje eu fui à praia e bronzeei só as costas: dormi e esqueci do fato que o sol queima. outra vez fui e consegui a proeza de só bronzar metade das costas. tenho que ir de novo à praia e bronzear o resto, ou não! quem sabe não lanço moda por aí. cada coisa que já foi moda. no século xviii o peso ideal de uma mulher com mais de 25 anos era a partir de 75 quilos. hoje é natural uma mulher com 46, o que antigamente soava um absurdo. falando em século xviii, estou lendo um livro biográfico de luís xvi da frança. apesar de não ser chato, foi o que me fez dormir e me queimar na bunda e nas costas.

20081219

robô

apática
sem reações
sem surpresas
sem insistência
mecânica
sem humor
sem alegria
sem apetite
desligada
ligada
pilha de nervos
histérica
atrevida
ácida demais
desprazer

isso tudo em uma só cabeça

20081202

peruca

A peruca é o símbolo mais apropriado para o erudito puro. Trata-se de homens que adornam a cabeça com uma rica massa de cabelo alheio porque carecem de cabelos próprios. Da mesma maneira, a erudição consiste num adorno com uma grande quantidade de pensamentos alheios, que evidentemente, em comparação com os fios provenientes do fundo e do solo mais próprios, não assentam de modo tão natural, nem se aplicam a todos os casos ou se adaptam de modo tão apropriado a todos os objetivos, nem se enraízam com firmeza, tampouco são substituídos de imediato, depois de utilizados, por outros pensamentos provenientes da mesma fonte.

(Trecho retirado de A Arte de Escrever de Arthur Schopenhauer)

pessoas
são boas
pessoas
são boas
animais
são pessoas
são boas
pessoas são
animais
são boas
pessoas são
animais
que são
pessoas
são boas
pessoas


(24/10/2005)

20081125

tales of a scorched heart

Farewell goodnight last one out turn out the lights
And let me be, let me die inside
Let me know the way from of this world of hate in you
Cause the dye is cast, and the bitch is back
And we're all dead yeah we're all dead
Inside the future of a shattered past
I lie just to be real, and i'd die just to feel
Why do the same old things keep on happening?
Because beyond my hopes there are no feelings
Bless the martyrs and kiss the kids
For knowing better, for knowing this
Cause you're all whores and i'm a fag
And i've got no mother and i've got no dad
To save me the wasted, save me from myself
I lie just to be real, and i'd die just to feel
Why do the same old things keep on happening?
Because beyond my hopes there are no feelings
Everybody's lost just waiting to be found
Everyone's a thought just waiting to fade
So fuck it all cause i don't care
So what somehow somewhere we dared
To try to dare to dare for a little more
I lie just to be real, and i'd die just to feel
Why do the same old things keep on happening?
Because beyond my hopes there are no reasons


(b. corgan)

20081118



achei o trecho que kirsten canta a música do post anterior no filme; está em 9'20''.

UPDATE (23:55):


melhor dizendo, http://www.youtube.com/watch?v=DOpT5BG5Fdk#t=9m20s

20081117

marie antoinette

depois que assiti ao filme de sofia coppola, fiquei abobalhada como uma menininha que assistiu amélie poulain ou juno. felizmente aprendi mais história graças a todo o contexto de um filme que tem siouxsie and the banshees e um all star random no meio das cenas.
no meio de tantas procuras sobre a vida da rainha, descobri que ela compunha músicas! não é nenhum beethoven ou vivaldi, mas tão bonitinho saber que ela fazia musiquinhas. e em fá maior ownti.


farta

farta de coisas pra escrever; de pensamentos; de idéias; de impedimentos.

20081101

pregotten boys



um dos poucos momentos que valeram a pena pagar o ingresso. os caras estavam muito chatos, tocaram diversas vezes dando as costas ao público.
estão assim, estrelinhas, depois do fora que levaram do david johansen (só porque o cara não foi bonzinho). achei foi pouco, deveriam ter levado uma vaia do dolls inteiro em são paulo. esse show foi superestimado demais, eu esperava sair do galpão 14 com disposição pra mais dez shows.
foi tão chato (inclusive pra eles) que ninguém pediu palheta. nem bis.

20081020

prova

hoje o soneto aqui embaixo caiu na prova de literatura. estava cheeeeeeeeio de erros, o que quase tirou a atenção pra entender uma coisa tão simples.
prova bizarríssima.

mal secreto

Se a cólera que espuma, a dor que mora
N’alma, e destrói cada ilusão que nasce,
Tudo o que punge, tudo o que devora
O coração, no rosto se estampasse;

Se se pudesse o espírito que chora
Ver através da máscara da face,
Quanta gente, talvez, que inveja agora
Nos causa, então piedade nos causasse!

Quanta gente que ri, talvez, consigo
Guarda um atroz, recôndito inimigo,
Como invisível chaga cancerosa!

Quanta gente que ri, talvez existe,
Cuja a ventura única consiste
Em parecer aos outros venturosa!


(Raimundo Correia)

20081009

Sonho Triangular

Depois que se tem
Depois que se tem tudo
O que mais se pode ter?
Quando sair do chão
Todos podem ver o pulo
E os giros
Que se fez no ar, no ar
permanecerá
Sempre vai viver e
Quando crescer
Vai querer ficar pois tudo
Já passa do chão
Quem não sonha não sai do lugar
Tudo e todos vão passar

Fechei os meus olhos
Meu sonho é real
Quem vai impedir
Os meus gritos que já são vozes soltas?
O vento leva para longe daqui
Os pensamentos
Que foram ditos por
Mim, por você que já
Vive na prisão sem muros
Não pensa em mais nada que
Te faça sair do (...)

Sair do seu lugar
Saia do lugar
Saia do seu mundo fechado só seu
Ninguém pode mais entrar
Nos seus sonhos perdidos
Que você criou
E agora?
E agora?

O sonho triangular
O sonho pode se acabar
Se você fugir de si
Pode se perder
Não encontrará a porta
que vai se abrir
Para um novo sonho formar



esse poema feito pelo meu colega da aula de música (e amigo fora dela) e foi musicado por nós pra uma apresentação no final do semestre passado. só a letra mereceu a nota máxima.

(se tiver algum erro me avisem, hihi)

20080705

Frágil

Você tem tanta vontade de chorar, tanta vontade de ir embora. Para que o protejam, para que sintam falta. Tanta vontade de viajar para bem longe, romper todos os laços, sem deixar endereço. Um dia mandará um cartão-postal de algum lugar improvável. Bali, Madagascar, Sumatra. Escreverá: penso em você. Deve ser bonito, mesmo melancólico, alguém que se foi pensar em você num lugar improvável como esse. Você se comove com o que não acontece, você sente frio e medo. Parado atrás da vidraça, olhando a chuva que, aos poucos começa a passar.


(Caio Fernando Abreu)

20080704

Tolice

Tola foi você ao me abandonar
Desprezando tanto amor que eu tinha a dar
Agora veja bem, o mal é vai e vem
Só esperar
E se eu mudei devo a você
Todo desamor que a vida me ensinou
Coração aberto, felicidade perto
Sou toda amor
Agradeço tanto, agradeço por você
Não ser do jeito que eu sou
Agradeço tanto, agradeço por você
Não ter me dado o seu amor


(Ângela Rô Rô)

20080701

Daydream

My daydream seems as one inside of me
Though it seems hard to reach through this life
My blue and hopeless life

My daydream screams bitter 'til the end
The love i share -true- selfish to the heart
My heart, my sacred heart

My daydream dream
My daydream
My daydream dream
My daydream
. . .

I'm going crazy
I'm going crazy
I don't want feelings
My feelings

I have gone crazy
Motherfucking crazy
I have gone



[B. Corgan (ou não)]

20080618

[]

Era uma noite até bonita e fria quando se pôs a escrever. Pelo fato de ter uma vida tão metódica e por isso desinteressante, demorou alguns minutos antes de lembrar que tem pai e mãe perfeitos, irmã perfeita e amigos perfeitos. Daí resolveu escrever um conto sobre toda essa perfeição.
Depois de tanto rasurar e apagar o que dizia no texto, percebeu que não gostava dessa perfeição. A partir disso, começou a analisar todos os detalhes: pai e mãe não eram tão amáveis quanto pareciam: o pai era muito racional, e, por vezes, extremamente indiferente; a mãe não trabalhava e se dedicava a fofocar com e sobre a vizinhança; a irmã... Não lhe importava tanto.
Então ele pensou em escrever algo diferente, que fugisse daquela realidade tão regrada que não saía da linha da aparente perfeição. Nesse momento, sua mãe entrou no quarto e parecia não acreditar que numa madrugada de quarta-feira seu filho estava fazendo outra coisa, a não ser dormir. Durante o sermão sonolento e furioso da mãe, ele ficou pensando sobre como cada ruga dela parecia singular beirando os olhos azuis que mais pareciam fundos oceanos. Pensou ainda sobre sua colega da escola, que era quase um anjo iluminado de tanta inocência e de uma paixão retida.
Foi quando de repente ouviu uma forte batida de porta, acordou dos pensamentos e disse a si mesmo:
- Minha família dá pro gasto, minha vida dá pro gasto e minha cama é até razoável. Mas mesmo assim prefiro dormir nela a ficar enganando a mim, o lápis e o papel.

(by me)

20080616

Melancia, maconha, futebol e bicicletas...

A melancia está, cada vez mais, ganhando a atenção dos brasileiros. Mas não tem ligação nenhuma com a alta dos preços dos alimentos, e sim com o novo fenômeno "cultural", a Mulher Melancia, ou Garota Melancia (novo nome criado por causa de problemas judiciais com o anterior).

Um novo assunto de importância indiscutível vem ganhando espaço no cotidiano do brasileiro: a crise da seleção brasileira. Estaria o melhor futebol do mundo desencantado? Derrotas para seleções consideradas frágeis vêm causando um alvoroço entre os fiéis e apaixonados torcedores.

Mesmo estando ainda em 2008, já começa a enxurrada de notícias sobre as rainhas de bateria do carnaval do ano que vem... Fico imaginando onde estão as pessoas esclarecidas deste País, estarão elas contaminadas pelo mar de futilidade que nos cerca?

A marcha da maconha foi reprimida, mas recentemente o mesmo aconteceu com o manifesto dos ciclistas de São Paulo, que tiraram a roupa para protestar. O pior é ver que a "razão" para ela ser reprimida foi ataque violento ao pudor, por as pessoas estarem nuas nas ruas. Mas esse seria um motivo convincente em um país que respira erotismo? O sexo e a nudez está por todo lado, inclusive nas ruas, durante o carnaval. É hipocrisia pura e a culpa é nossa, que somos incapazes de fazer alguma coisa.

Somos privados de direitos básicos como a educação, saúde e lazer... Dizer que a ditadura acabou é mentira pura! Tente se expressar pra ver o que acontece! A "sociedade brasileira" está muito ocupada para fazer alguma coisa. Vamos continuar inertes como estamos e fingir que está tudo bem! Afinal, tem jogo do Brasil contra a Argentina essa semana e a nova Playboy da Melancia já está nas bancas!




Achei esse texto por aí e gostei, mesmo sendo um tema bem batido: a eterna hipocrisia da população brasileira (mesmo não existindo apenas nela). Mas enfim, gostei do texto e é isso o que eu penso. Eis o
link.

bjo bjo

20080608

novidades

bem. minha rotina não mudou muito desde o último post, embora eu não tenha falado muito dela. ontem eu tentei, pela segunda vez, entrar no ksa rock. só que tá uma burocracia danada pra menores de idade poderem entrar lá. enfim, não importa. eu e meus amigos encontramos danielle e de lá saímos pra beber alguma coisa***.
estou de férias da minhas aulas de teoria musical! agora só vou voltar à escola de música pra ter aulas de viola e repor algumas que a professora não pôde dar. e minhas aulas com ela não poderiam estar melhores.
fiz um novo amigo no msn, que eu converso quando estou com muito sono ou quando me ignoram. com o tempo aprende-se a lidar com ele.
quanto aos ***, é o seguinte: eu estou tomando roacutan e não posso beber por causa disso. o efeito do bendito remédio é cortado por álcool.
finalizo o post com um vídeo de uma música que eu adoro.

20080525

here i go again

oi. esqueci do blog. muitas coisas legaizinhas (algumas até demais ou de menos) aconteceram desde o último post. fui ao show do new york dolls (HOOOOOOOOORAAAAAAAAAAAY), as duas malditas turmas do segundo ano se juntaram, passei a frequentar o habib's; a não ler mais; e não assistir a mais filmes, fiz prova de música e...
tenho uma apresentação de uma composição pra fazer. ainda bem que é em grupo. a música é bem legal, e a letra é linda. depois eu faço algum comentário sobre isso.

20080406

new york dolls

nossa, mal posso esperar pelo melhor show da minha vida (por enquanto, tomara)! agora faltam 5 dias e algumas horinhas. o que pode me atrapalhar um pouco é a censura, que só aceita que menores de 14 a 18 anos estejam acompanhados por parentes de até 3º grau. tomara que alguém que vá comigo tenha algum dos meus 4 sobrenomes, haha :P



Baaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaad grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrl!

20080328

Soneto de Fidelidade


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.




(Vinicius de Moraes)


20080327

fidelidade

Estive pensando sobre fidelidade, a fidelidade que todos julgam tão necessária e essencial.

A fidelidade está fundamentalmente ligada ao respeito; quaisquer tipos de respeito. Quando estão juntos, fidelidade e respeito sempre estão referindo-se a uma relação conjugal ou relações familiares. Mas as pessoas se esquecem que respeito está intimamente ligado aos mínimos detalhes de convivência. Palavras tênues, gentileza e até mesmo um sorriso constituem a lealdade.

Pensemos também o que significa fidelidade. Esta também sugere uma “não-falsidade”; a fidelidade a nós mesmos e respeitar os outros com sinceridade. Mas será que é isso mesmo? Será que a “não-falsidade” não está ligada aos falsos escrúpulos que nós temos que ter, fato imposto pela moral e bons costumes da sociedade? Sejamos justos e pensemos o que de fato escrúpulo significa. Ter escrúpulos não é não falar sobre sexo com os pais. Ter escrúpulos não é não discutir sobre aborto com um pastor-teólogo-padre. Ter escrúpulos não é não dizer a verdade (que não gosta do modo que a sua tia sempre tem a mesma conversa com você, com medo de chateá-la para o resto da vida), e no fim isso acaba sendo falsidade. Podemos fazer tudo isso que citei, usando somente uma coisa: escrúpulos. Moderando o teor ao se expressar, a acidez das palavras e usando sempre o poder de ouvir e respeitar as opiniões, mesmo que estas sejam completamente repetitivas e INESCRUPULOSAS.

A fidelidade a qual eu me referi a todo o momento é a que devemos ter conosco. A honestidade com os nossos sentimentos ao se relacionar com as outras pessoas é essencial. Lembrando que a fidelidade, em todos os aspectos não deve ser carnal. Fidelidade é essencialmente uma virtude emocional que nós devemos saber lidar, para que sejamos verdadeiros com todos a nossa volta, principalmente conosco.

20080318

...

geralmente escreve-se quando se tem algo a escrever... mas, infelizmente, vamos aos fatos:

- a semana de provas não foi tão empolgante quanto o previsto;
- tenho que deixar de me passar pelas dores (e odores) dos outros

acho que é isso.

20080316

piscis

Peixes representa o escapismo, a fuga, a modéstia e um certo ar de vítima que o mundo às vezes exibe. Com a enorme empatia que sente pelos desfavorecidos, este é o signo da justiça divina, pois o céu fala por sua boca.
No amor, é o mais romântico de todos os signos. Ele dá a vida por quem ama. Peixes deseja tanto o encontro de almas, que mais nada lhe serve. Contrariado, chora e comove ao ponto de se tornar vítima. Por ser instável como o oceano, curioso e explorador, pode não se adaptar bem ao casamento, mas sua sensualidade o torna um dos amantes mais devotados ao par e à sua prole.

já que o mês acaba dia 20...

20080313

IMPOSSÍVEL

20080223

carinhoso

meu coração
(não sei por)
que bate feliz
quando (te vê e)
os meus olhos
(ficam sorrindo e)
pelas ruas vão
te seguindo
mas mesmo
de mim foges

assim

.

(pixinguinha/ estrutura by me)

20080211

aulas.

é, depois do primeiro dia toda aquela minha excitação baixou bastante. apesar disso, as salas estão com ar condicionado (diliça [finalmente!]) e, turmas do primeiro ano que estavam juntas, foram divididas hoje. menos de 20 alunos em uma sala é um sonho. até agora, nada de anormal.

FOFOKS!!11shiftone!!111

20080210

dargh

voltei às aulas.
- legal! e aí?
e aí que grandes bosta.

20080206

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

é amanhã o primeiro dia de aula! ansioooooooooosaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

20080129

aulas!

pois é, sou meio estranha... enquanto as pessoas "normais" estão quase chorando pelas férias que estão quase acabando, ou pelas aulas que acabaram de começar, eu mal posso esperar pra que elas comecem. não agüento mais ficar em casa, por mais que eu esteja me divertindo nessas férias. uau, imagina só que excitante a primeira semana de provas!!! fico arrepiada só de pensar.
tô assim também pra que comecem as aulas de viola. finalmente, estudar instrumento, ah!
o que me resta é aproveitar bem o restinho das férias, e aguardar ansiosamente o retorno das aulas. hahahaha

tchau!

20080123

zezuis, me depila

acabei de ver isso, e não pude deixar de vir aqui:

Médicos e pessoas próximas à cantora acreditam que a jovem precisa urgentemente de ajuda, já que sofre de ataques de pânico e está com doenças mentais.

"A cantora sofre de problemas mentais há anos", declarou uma fonte ao "The Sun".

leiam mais aqui.


toma remédio, brit!

almodóvar!

graças a lays conheci a video store, e, desde então, não consigo parar de pensar nos próximos filmes que eu vou locar. segunda-feira peguei 3 filmes de almodóvar: carne trêmula (ainda não vi, e preciso devolver os filmes hoje), mulheres à beira de um ataque de nervos e kika. sempre gostei dele, mas nunca criei coragem pra ver além de dois filmes...



tô pensando em fazer um livro, "todo sobre mi padre".

20080121

Super Mario Bros: Frustration



um dos vídeos mais engraçados que eu já vi. haha

20080117

cleaning...!

acho que eu fiquei louca esses últimos dias... a srta. lazy tem limpado o quarto e lavado o banheiro por livre e espontânea vontade. acabei de limpar o quarto, e acho que daqui a pouco vou lavar a louça. minha mãe já tá começando a achar que eu quero algo em troca... será que é inconsciente?

20080115

passei!

esqueci de vir aqui dizer... segunda-feira, dia 7, fui fazer a matrícula pro meu curso de musicalização... quando cheguei lá, descobri que peguei a vaga pra viola! a média não foi tão alta, mas, pelo menos foi suficiente pra finalmente estudar um instrumento. fiquei tão feliz como se tivesse passado em primeiro lugar pra medicina. (exemplo péssimo)
desde esse dia não aconteceu nada de incrível. só férias normais, como as de sempre.
terminei de baixar ontem Encaixotando Helena. eu gostei, mas não teve nada de tão incrível, exceto as atuações extremamente razoáveis... outro elenco pra essa história teria sido melhor :P

beijo